2018-06-14 13:30:17

Impressão Offset

Impressão Offset

Também conhecido como impressão convencional, o offset é o sistema de impressão mais utilizado no segmento gráfico no mundo todo desde a segunda metade do século XX, por isso merece destaque e uma explicação mais completa. Inclusive, é um dos procedimentos mais utilizados pela bhgráfica para médias e grandes tiragens, por ainda ser o processo que oferece a melhor qualidade com um custo baixo.

No processo de impressão offset, a imagem não é impressa diretamente no material, como na impressão digital. Em vez disso, a imagem é impressa em uma ou mais chapas de alumínio, em seguida esta chapa é colocada na máquina para receber a tinta e transmitir para o material.

A impressão offset é considerada uma impressão indireta e mecânica, já que o documento precisa de uma matriz e é passado para o suporte depois de ser transferido para o rolo de impressão. O processo consiste em explorar a ideia de que gordura e água não se misturam.

O mecanismo do offset conta com seis partes: chapa, blanqueta, suporte (papel ou outro material), cilindro de pressão (cuja tarefa é pressionar o suporte contra a blanqueta), água e tinta.

Seu funcionamento consiste em um processo onde a chapa virgem atrai água e a chapa com pontos gravados atrai a gordura presente na tinta. A água lava a tinta nas áreas onde não há conteúdo a ser formado, enquanto ele é transferido a um rolo que transmite a tinta para o papel, que a absorve.

A chapa, que é a matriz onde fica a imagem a ser impressa, é plana, pois não precisa de relevos para que a gordura da tinta se aloje nas áreas marcadas com o conteúdo. Além disso, a umidade que se instala nas demais áreas impede que a tinta se espalhe. Obviamente, para que esse processo ocorra bem e funcione sem falhas, é fundamental que as quantidades de água e tinta na impressora sejam adequadas.

O resumo do mecanismo offset é o seguinte: a chapa (matriz) imprime a blanqueta, que é um cilindro coberto de borracha, e a blanqueta imprime o papel (ou outro material). O que garante a qualidade da impressão é justamente o fato de a blanqueta conter os excessos de tinta e, por isso, a imagem fica mais nítida no papel onde é impressa. A chapa tem boa durabilidade, pois seu maior contato é com uma superfície flexível de borracha. E o papel não é danificado pela umidade do mecanismo pois não tem contato com a quantidade de água e tinta da chapa e sim com a blanqueta.

As máquinas de impressão podem ser tanto planas quanto rotativas, sendo que as planas oferecem melhor qualidade, por rodar folha por folha, o que faz delas ideais para a impressão de livros, folhetos, cartazes, panfletos e folders, enquanto as rotativas usam bobinas de papel, sendo melhores para impressões de grandes tiragens, como revistas e jornais.

A impressão offset é recomendada para médias e grandes tiragens e pode ser utilizada em praticamente todos os tipos de papel e em alguns tipos de plástico, em especial o poliestireno.

Na década de 1990, o offset foi aperfeiçoado e passou a contar com máquinas com um sistema chamado CTP, que dispensa fotolitos, pois dados de arquivos digitais são enviados diretamente para a impressora para a gravação das chapas.

Apesar da qualidade de impressão excelente propiciada pelo offset, além de todas as suas vantagens e pontos positivos, o mecanismo possui também algumas fragilidades que não podem ser ignoradas. Uma delas é sua instabilidade, que faz com que durante a impressão sejam necessários frequentes reajustes para garantir uniformidade nos tons das cores ao longo de toda a tiragem. É preciso que a impressora seja regulada para que sejam mantidos os níveis adequados de umidade e de tinta com o intuito de evitar falhas.

Outro ponto que exige atenção é com relação ao excesso de carregamento de tinta, que pode fazer com que uma folha manche ou cole em outra. O excesso de umidade também oferece risco, já que a secagem dos impressos pode demorar e, caso o material saia da gráfica sem estar devidamente seco, pode resultar em perda da tiragem e prejuízo.

Por causa disso, é importante que a tinta seque antes que o papel seja cortado e o verso seja impresso. Um bom acompanhamento gráfico é o suficiente para evitar esses problemas e garantir um resultado satisfatório. Além disso, existem impressoras que possuem 5 torres, sendo 4 voltadas para a alimentação das tintas e 1 para aplicar verniz de secagem rápida no material, com o objetivo de reduzir o tempo de produção.