Impressão com sangria e margens!

Impressão com sangria e margens!

O que são sangrias e margens e qual a importância delas na impressão?

Quando se trata de impressão de materiais, como folders, cartões de visita ou panfletos, é fundamental prestar atenção aos detalhes para garantir um resultado final de qualidade. Além de ajustar a escala de cores e salvar corretamente as imagens, é essencial considerar o uso de sangrias e margens. Esses dois elementos desempenham um papel crucial na preservação das informações importantes e evitam problemas indesejados durante o processo de impressão.

O que são sangrias e margens?

As sangrias e margens são termos comuns no mundo da impressão. A sangria refere-se à área além das bordas do documento onde os elementos gráficos se estendem. Já a margem é a área interna do documento onde as informações essenciais devem ser posicionadas.

Importância das sangrias e margens na impressão

Imagine a seguinte situação: você enviou seu material para impressão, pagou pelo serviço e, ao buscá-lo, percebe que parte do texto ficou entre as dobras do folder ou simplesmente desapareceu após o corte. Isso pode ser extremamente frustrante, especialmente se você estiver imprimindo em grandes quantidades.

As sangrias e margens são responsáveis por evitar essas surpresas desagradáveis. Elas garantem que todas as informações importantes do material sejam mantidas intactas durante o processo de impressão, evitando cortes indesejados ou falhas brancas causadas pela guilhotina.

Como preparar o material para impressão?

Preparar o material para impressão com sangrias e margens é mais simples do que parece. Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo:

1. Sangria: Para criar uma sangria, é necessário extrapolar todos os elementos gráficos da arte, exceto o texto, em uma distância segura de 1 a 5mm além das bordas do documento. Isso garante que nenhum elemento importante seja cortado e evita falhas brancas no material final.

2. Margem: A margem é aplicada internamente no documento e deve ser planejada para que todas as informações essenciais, como logotipos e textos, fiquem a uma distância segura de 3mm das bordas. Utilize uma régua para garantir que haja uma margem de 3mm em todas as bordas do documento.

Recursos úteis para aprender mais sobre margens e sangrias

Fez todos os procedimentos, mas está com dúvidas?

Se você seguiu todas as orientações para preparar seu material com sangrias e margens, mas ainda tem dúvidas, não se preocupe. A equipe da bhgrafica está pronta para ajudar. Você pode enviar seu documento e perguntar se está correto de acordo com suas necessidades. Nossos atendentes terão prazer em verificar se tudo está de acordo e garantir que você obtenha exatamente o que precisa ao final da impressão.

Lembre-se de que as sangrias e margens são elementos essenciais para o sucesso da sua impressão. Ao considerar esses detalhes, você estará garantindo um resultado final de qualidade e evitando surpresas desagradáveis.

Variação de Cor e tinta Pantone na Impressão Gráfica?

Variação de Cor e tinta Pantone na Impressão Gráfica?

Neste artigo vamos explorar um pouco mais sobre a variação de Cor e tinta Pantone na Impressão Gráfica e como o Material e acabamento Influenciam na cor e tonalidade.

Ao iniciar um projeto de impressão, uma das decisões mais cruciais que você enfrentará é a escolha do tipo e do acabamento do material. Essa escolha não só afeta a estética do seu material impresso, mas também a percepção das cores e a qualidade geral do produto final.

Muitos podem não perceber, mas o tipo de material e acabamento pode alterar drasticamente a aparência da cor impressa. Neste artigo, vamos explorar como diferentes tipos de material e acabamento afetam a visibilidade e como eles podem influenciar o resultado da sua impressão.

1. A Ciência por Trás da Cor e da Tinta

Antes de mais nada, é fundamental entender as diferenças entre os principais tipos de materiais utilizados para impressão. Papéis, adesivos, filmes, PVC e alguns materiais sintéticos, sejam eles revestidos ou não, apresentam características distintas que podem alterar significativamente a aparência da tinta impressa. A interação entre a tinta e o material que será impresso não é tão simples quanto parece. A tinta, apesar de ser um líquido, não é aplicada diretamente como tal no material. Em vez disso, ela é depositada sobre uma superfície que pode ter diferentes graus de absorção e textura. Materiais revestidos, por exemplo, são tratados para serem menos porosos e mais lisos, criando uma superfície que reflete mais luz e faz com que a tinta pareça mais brilhante e vívida. Por outro lado, os materiais não revestidos absorvem mais tinta, resultando em um acabamento mais suave e menos saturado.

2. O Impacto do Acabamento na Impressão

O acabamento do material é um fator crucial para determinar a aparência final de uma impressão. Os acabamentos podem variar de fosco a brilhante, cada um proporcionando um efeito visual distinto. Por exemplo, um acabamento brilhante tende a realçar a intensidade e o contraste das cores, conferindo vivacidade à impressão. Em contrapartida, um acabamento fosco pode oferecer uma aparência mais sutil e elegante, ideal para projetos que requerem um toque de sofisticação sem excesso de brilho. Essas escolhas impactam diretamente na percepção visual do material impresso e podem influenciar a mensagem que se deseja transmitir através do design.

3. Interferência da Cor do Material na Tonalidade da Cor

Além dos materiais tradicionais para impressão, que em sua maioria são de um branco equilibrado, existem outros materiais que apresentam características bem distintas do branco. Adesivos, cartões, papéis reciclados, creme, amarelado, jornais, krafts, sintéticos e coloridos são opções que oferecem uma estética única e podem ser mais sustentáveis. No entanto, é importante destacar que esses tipos de material podem alterar a forma como as cores são percebidas, devido à sua textura e cor de base.

Escolher o material adequado não é apenas uma questão de estética, mas também de funcionalidade. Por exemplo, uma tinta clara impressa em um papel kraft marrom não terá o mesmo impacto visual que teria em um papel branco brilhante. Isso ilustra como a cor de base do material pode influenciar significativamente a percepção da cor da tinta. Portanto, a seleção cuidadosa do material é essencial para garantir que as cores impressas correspondam às expectativas e transmitam a mensagem desejada de forma eficaz.

4. Pantone Color Bridge e Cores Especiais

Para aqueles interessados em visualizar exemplos concretos das diferenças entre os materiais, recomenda-se a utilização de um livro de amostras Pantone Color Bridge. Comparar as mesmas cores em materiais revestidos e não revestidos pode ser extremamente útil para entender como a escolha do material influencia a reprodução da cor.

A Pantone, reconhecida mundialmente por seu sistema de cores, compreende que a mesma tinta pode apresentar variações visuais significativas dependendo do tipo de papel utilizado. Por isso, oferece guias como o Pantone Color Bridge, que são ferramentas indispensáveis para designers e impressores. Esses guias ajudam a entender como as cores podem variar entre diferentes materiais e acabamentos, garantindo que a cor impressa seja o mais próxima possível da cor desejada, independentemente do substrato escolhido. Essa ferramenta é essencial para assegurar precisão e consistência na reprodução de cores em diversos projetos de impressão. saiba mais em nosso site https://www.bhgrafica.com.br/blog/pantone-na-impressao-grafica/ ou na https://pt.wikipedia.org/wiki/Pantone

5. Prova Contratual, Prelo, Cromalin da DuPont, MatchPrint da 3M e Chromedot

Com tecnologia de ponta, oferecemos provas contratuais produzidas com padrão alemão, sem limitação de formato, material ou acabamento. Este é o único sistema de provas capaz de reproduzir tons avermelhados, acinzentados e toda a gama Pantone®. Também é possível desenvolver perfis ICC normatizados com ISO 12647-7 para outras mídias, como couché brilho, couché mate, couché fosco, transparências, papel offset, reciclado, papel jornal, papel layout, brilhante e semibrilho, com ou sem laminação e verniz, garantindo fidelidade entre a matriz aprovada e o produto final.

A fidelidade no resultado só é garantida apresentando uma prova de valor contratual. Provas comuns ou aprovações por monitor, celular e impressoras convencionais não asseguram fidelidade, principalmente porque o sistema é RGB e não CMYK. Muitas provas apresentadas pelas gráficas são apenas cópias de impressora digital e não têm valor contratual.

Conclusão Final

Escolher o material certo é mais do que uma questão de preferência estética; trata-se de uma decisão técnica que pode influenciar diretamente a aparência da tinta e, consequentemente, o resultado final do projeto. Compreender as propriedades do papel e como ele interage com a tinta é essencial para qualquer pessoa envolvida em design gráfico ou impressão. Ao selecionar o papel, é crucial considerar não apenas o custo e a textura, mas também como ele afetará a representação das cores. Ao considerar cuidadosamente o tipo e o acabamento do papel, você pode garantir que seu material impresso comunique sua mensagem da maneira mais eficaz possível.

Aprenda a digitalizar documentos em PDFs no Android com Google

Aprenda a digitalizar documentos em PDFs no Android com Google

Olá! Neste post, vamos te ensinar passo a passo como digitalizar documentos em seu celular usando o Google. Essa é uma ótima maneira de transformar documentos físicos em versões digitais facilmente acessíveis. 

Vamos lá!

Google Drive

1. Abra o aplicativo Google Drive no seu dispositivo. Certifique-se de que você tenha o aplicativo instalado em seu smartphone ou tablet Android.

2. No canto inferior direito da tela, você encontrará o ícone da câmera. Toque nele para iniciar o processo de digitalização.

3. Aponte a câmera do seu dispositivo para o documento que você deseja digitalizar. Certifique-se de que o documento esteja bem enquadrado na tela.

4. Uma linha azul irá delimitar o documento na tela. Essa linha indica onde a imagem será cortada após a digitalização. Certifique-se de que o documento esteja completamente dentro dessa linha.

5. Agora, tire uma foto do documento pressionando o botão do obturador na tela. Se necessário, você pode ajustar a posição da câmera para obter uma imagem mais nítida.

6. Opcionalmente, você pode alternar entre a captura automática e manual. A captura automática permite que o aplicativo detecte automaticamente quando um documento está presente e tire a foto automaticamente. A captura manual permite que você tire a foto manualmente pressionando o botão do obturador.

7. Após a captura da foto, você pode ajustar o documento digitalizado conforme necessário. O Google Drive oferece várias opções de ajuste para melhorar a qualidade da imagem.

– Para ajustar a área de digitalização, toque em “Cortar e girar”. Isso permite que você recorte a imagem e a gire, se necessário, para obter a melhor visualização do documento.

– Para ajustar as cores ou deixar a imagem em escala de cinza, toque em “Filtrar”. Essa opção é útil quando você precisa melhorar a legibilidade do documento ou remover cores indesejadas.

– Se houver manchas, dedos ou outros elementos indesejados na imagem, toque em “Limpar” para removê-los.

8. Se você precisar digitalizar mais páginas, toque em “Adicionar Plus”. Isso permitirá que você tire fotos adicionais de outras páginas do documento.

9. Caso a foto não tenha ficado como você esperava, você pode tirar outra foto do documento tocando em “Tirar outra foto”. Isso permitirá que você refaça a captura até obter o resultado desejado.

10. Se você desejar excluir uma página da digitalização, toque em “Excluir”. Isso removerá a página selecionada do documento digitalizado.

11. Após fazer todos os ajustes necessários, toque em “Concluído” para finalizar o processo de digitalização.

12. Agora, você pode criar um nome de arquivo personalizado para o documento digitalizado ou selecionar uma sugestão de título fornecida pelo Google Drive.

13. Opcionalmente, você pode selecionar a pasta do Google Drive onde deseja salvar o documento tocando em “Local”. Isso permitirá que você organize seus documentos digitalizados em pastas específicas.

14. Por fim, toque em “Salvar” para salvar o documento finalizado no Google Drive. O documento digitalizado estará disponível para acesso em qualquer dispositivo conectado à sua conta do Google.

Se você deseja ter um acesso rápido à função de digitalização, você pode adicionar um atalho à tela inicial do seu dispositivo. Veja como fazer isso:

1. Abra os widgets do seu smartphone ou tablet Android. Para fazer isso, toque e segure em uma área vazia da tela inicial até que as opções de personalização sejam exibidas.

2. Localize o widget chamado “Drive: digitalizar”. Esse widget permite que você acesse rapidamente a função de digitalização do Google Drive.

3. Toque e mantenha pressionado o widget “Drive: digitalizar”. Isso permitirá que você mova o widget pela tela.

4. Arraste o widget para a tela inicial na posição desejada. Você pode escolher a tela inicial principal ou qualquer outra tela onde deseja ter acesso rápido à função de digitalização.

5. Durante o processo de movimentação do widget, você pode ser solicitado a selecionar uma conta do Google Drive. Escolha a conta que está vinculada ao seu Google Drive.

6. Após posicionar o widget na tela inicial, você pode escolher a pasta na qual deseja salvar os documentos digitalizados. Se preferir criar uma nova pasta, toque em “Nova pasta” e dê um nome para a pasta.

7. Toque em “Selecionar” para finalizar a configuração do atalho de digitalização. Agora você verá o nome da pasta selecionada no widget.

Agora você tem um atalho prático para digitalizar documentos diretamente da tela inicial do seu dispositivo Android. Essa função facilita ainda mais o processo de digitalização e organização dos seus documentos no Google Drive.

Esperamos que este guia passo a passo tenha sido útil para você aprender como digitalizar documentos usando o Google Drive. Aproveite essa funcionalidade para tornar sua vida mais fácil e manter seus documentos importantes sempre à mão.

Inteligência artificial x Design gráfico: inimigos ou aliados?

Inteligência artificial x Design gráfico: inimigos ou aliados?

A Inteligência Artificial (IA) chegou com tudo em muitos ramos e no design gráfico não foi diferente.

Com a inserção desse tipo de tecnologia no cotidiano dos profissionais, muitas pessoas têm questionado se isso poderia significar o fim do trabalho desenvolvido na área e a substituição de quem atua no ramo.

Por isso, vale a pena conhecer um pouco melhor esse assunto e entender o que está em jogo nesse debate que ainda é bastante polêmico.

Continue a leitura e entenda qual a relação atual entre IA e design gráfico!

A relação entre inteligência artificial e design gráfico 

A essa altura, você já deve ter se deparado por aí com diversas ferramentas de Inteligência Artificial (IA), como o ChatGPT, que ganhou usuários por ser muito fácil de usar e por impressionar com seus resultados.

Esse tipo de tecnologia é caracterizado por simular atividades humanas, como pensar, fazer análises e, em alguns casos, criar diferentes tipos de material.

Textos, imagens e projetos como um todo fazem parte dos resultados que uma ferramenta de IA pode criar e isso tem assustado muitos profissionais do design gráfico.

O que acontece é que esse tipo de tecnologia começou a ser desenvolvido com o objetivo de solucionar problemas no mundo corporativo, mas hoje em dia tem se popularizado como um instrumento capaz de atender demandas individuais.

Assim, é natural que em muitos ramos, incluindo o design gráfico, profissionais comecem a se questionar em relação ao papel que a IA desempenha na vida das pessoas e se ele pode substituir a atuação de seres humanos.

Isso se aplica, por exemplo, à criação de imagens, elaboração de projetos e muitas outras tarefas que antes eram cumpridas pelo designer.

Por outro lado, há outros processos, como segmentação de público, detecção de erros e elaboração de soluções que também podem entrar de forma muito eficiente na rotina desses profissionais.

Por que a IA no design gráfico ainda é um assunto polêmico?

A Iinteligência Artificial como um todo ainda é um tópico bastante polêmico.

Por um lado, temos a questão da substituição do trabalho humano, um medo de muitos pesquisadores do assunto e também de profissionais dos mais diversos ramos.

Há ainda, no ramo do design gráfico, uma discussão acalorada sobre o potencial criativo da IA, ou seja: a tecnologia é capaz de criar algo novo, assim como os seres humanos?

Afinal, esses mecanismos funcionam a partir do processamento de dados e, portanto, só se criam a partir das informações às quais foram expostos.

Assim, a discussão em relação ao uso de ferramentas no processo criativo ainda pode ser bem polêmica.

Descubra como a Inteligência Artificial pode otimizar os processos no design gráfico

A verdade é que, mesmo com todo o seu potencial, a IA nunca poderá substituir o olhar humano de um profissional em relação aos seus projetos de design gráfico.

Mesmo quem aderir à utilização das ferramentas logo começará a notar que elas demandam instruções precisas e, em muitos casos, uma série de ajustes, para que cheguem ao resultado esperado para um projeto.

Ainda assim, há outras maneiras de integrar essas tecnologias à rotina de trabalho em diversas áreas de atuação, aproveitando o que elas têm de melhor: a possibilidade de otimizar processos.

Converter arquivos, redimensionar imagens, detectar erros de alinhamento em um projeto ou até categorizar arquivos são tarefas simples, mas que podem ser otimizadas por meio da IA.

Agora que você já sabe tudo sobre o assunto, continue aqui e confira nosso post sobre arte final: como funciona o processo, quem faz e quais os seus usos?

Confira como usar o Canva na impressão gráfica

Confira como usar o Canva na impressão gráfica

O Canva é uma ferramenta online de grande auxílio para designers e demais profissionais criarem e enviarem seus arquivos diretamente para a impressão gráfica.

Seja a versão gratuita ou paga, a plataforma é utilizada para criar a arte e personalizar o material que será impresso.

Além de oferecer facilidades na criação de arte gráficas, a ferramenta também disponibiliza modelos e layouts prontos de cartazes, folders, cartões, panfletos, papel timbrado e outros materiais que serão impressos.

Criado há dez anos, o conhecido editor gráfico já conta com mais de 135 milhões de usuários ativos e mais de 15 milhões de designs criados.

Preparamos um post para falar com você sobre como usar o Canva para criar a sua arte e encaminhar o material para a impressão gráfica. Vamos conferir?

4 usos do Canva na impressão gráfica

Claro que o primeiro passo para usar o Canva na impressão gráfica é abrir uma conta na plataforma. Neste link, você pode escolher o melhor plano, individual, de uso coletivo, pago ou gratuito.

Vamos conferir como o Canva pode ser usado na impressão gráfica do seu material?

Conversão de artes

As cores que você vê na tela do computador estão no padrão RGB, que é a sigla para Red, Green e Blue (vermelho, verde e azul).

Isso significa dizer que quando você cria uma arte no Canva ela estará no RGB e para enviá-la para a impressão gráfica ela deve estar no padrão CMYK, sigla para as cores ciano, magenta, amarelo e preto.

O sistema CMYK é conhecido como cores subtrativas porque a tinta é adicionada em um papel para então subtrair o brilho da superfície.

Dessa forma, você pode utilizar o Canva para exportar sua arte do padrão RGB para o CMYK para e enviá-la para a impressão.

Conversão de textos em curvas

No momento de enviar o arquivo para a impressão gráfica, o texto deve estar em curvas para evitar que ele não sofra modificações de fonte, ou seja, no tipo de letra usado.

A conversão em curvas garante que os caracteres fiquem bem legíveis e que o seu texto seja impresso na fonte desejada e você pode contar com o Canva nessa tarefa.

Verificação da resolução de arquivos

Se você trabalha com arte gráfica já deve ter ouvido falar de DPI (dots per inch) ou pontos por polegada, fator que indica a resolução da arte que você está criando e que influencia diretamente na qualidade da impressão gráfica do material que você criou.

Nessa hora, é importante observar que a exibição de um layout na tela do seu celular ou computador exige uma quantidade menor de pixels, ao passo que para a impressão gráfica profissional os DPIs do arquivo devem ser bem maiores.

O Canva é um grande aliado do designer na hora de revisar layouts antes de enviá-lo para a impressão.

Disponibilização de um extenso banco de imagens no Canva

Gratuitamente o Canva disponibiliza diversas opções de recursos visuais, como imagens profissionais, vetores e layouts prontos para você criar o seu material. 

Dependendo do seu plano, a ferramenta disponibiliza mais de 75 milhões de fotos, vídeos e elementos diversos para você usar e se inspirar nas criações. 

Quer garantir uma boa impressão gráfica? Conte com a BH Gráfica

Muitas vezes o designer precisa de apoio e suporte para garantir uma boa impressão gráfica da sua criação.

É nesse momento que a BH Gráfica ajuda você com sugestões para adequações e correções que se fazem necessárias no material gráfico enviado, agregando valor ao seu projeto e garantindo a qualidade do material que será impresso.

Acesse nosso site e conheça as nossas soluções em impressões gráficas.

Saiba quais são os principais usos do Pantone na impressão gráfica

Saiba quais são os principais usos do Pantone na impressão gráfica

O Pantone está entre os principais e mais usados sistemas de cores do mundo, estando presente nos mais variados setores, como plásticos, têxtil, vestuário, cosméticos, decoração e interiores, e logicamente na indústria e serviços gráficos.

Especialmente falando de um material gráfico, antes dele ser impresso ele passa por algumas etapas que envolvem elementos essenciais para a qualidade do produto final, como a arte, design, fonte, a combinação (paleta) de cores e entre outros.

Quando se trata de cores e impressão, a escala Pantone é um dos sistemas mais utilizados pelos designers e pelas gráficas para garantir uniformidade dos tons e melhoria na qualidade da impressão.

O sistema utiliza numerações para sinalizar as cores e elas são compostas por um único pigmento, fator que garante fidelidade em diferentes materiais impressos.

Neste post, você vai conferir quais são os principais usos do Pantone na impressão gráfica. Continue a leitura e confira.

Conheça os principais usos do Pantone na impressão gráfica 

Pantone, é uma empresa americana, detentora da marca do mesmo nome, reconhecida mundialmente como a autoridade em cores no mundo e criadora da cor do ano.

A empresa é também dona de uma enorme paleta de cores que é a preferida dos designers, com isso a tinta se tornou um produto de excelência nas gráficas. 

Mas, afinal, quais são os principais usos do Pantone na impressão gráfica?

São eles:

Cartões de visitas

Tanto na arte como na escolha das cores, o cartão de visitas exige maior excelência.

Para suprir essa necessidade e garantir uma cor mais consistente na hora da impressão, usamos uma tinta especial, a Pantone.

Em cartões de visita, a tinta Pantone é utilizada nas áreas de chapados ou onde precisa garantir uma fidelidade na cor e na tonalidade do impresso.

Embalagens

A tinta Pantone também agrega valor aos diversos tipos de embalagens. 

Nesse cenário, destacamos que empreendimentos que estão sempre oferecendo um diferencial para seus clientes buscam ficar atualizados sobre qual a cor do ano estabelecida pela marca para personalizar suas embalagens.

Cadernos personalizados com Pantone

Também faz a diferença em cadernos personalizados, dando mais destaque à identidade visual.

Por ser uma cor bem definida, esse sistema é muito usado para padronizar a impressão em alguns brindes corporativos, como os cadernos. 

Destacamos que os brindes corporativos são excelentes estratégias de marketing, tanto para promover a marca como para fortalecer o relacionamento com o seu cliente.

Segundo pesquisa da PPAI Research (Promotional Products Association International), organização mundial referência da indústria de brindes promocionais, 81% dos consumidores guardam os brindes por mais de um ano quando eles são úteis.

Nessa hora, dar um destaque para a sua logo com a tinta Pantone ajuda na visibilidade da sua marca.

Caixas de medicamentos

A Resolução RDC nº 71, de 2009, estabelece normas para a rotulagem de medicamentos prevendo que na faixa vermelha da embalagem de remédios deve ser utilizada a referência de cor vermelha Pantone 485C.

Já para a impressão da faixa preta, deve ser utilizada a referência de cor preta Pantone Processo Black C.

Na amarela a orientação é Pantone 116 C e na azul 276 C.

Logo, a tinta Pantone está muito em destaque e sempre presente nas faixas coloridas das embalagens de medicamentos.

Agora que você conferiu quais são os principais usos do Pantone na impressão, acesse nosso site e conheça os serviços da BH Gráfica.